quarta-feira, Agosto 01, 2012

Comprar caro, vender barato!

Tento encontrar uma lógica na gestão de activos, mas parece - me que em vez de se construir uma equipa estável, equilibrada, competente e com identidade o que se pretende é o de, e dentro dos recursos disponíveis, fazer o maior número de negócios para arrecadar a maior quantidade de comissões possíveis, aproveitando as "oportunidades de negócios" com os jogadores "que se seguiam há muito tempo". Compram - se jogadores jovens mais caros do que se vendem os jogadores internacionais com experiência e provas dadas ao mesmo tempop que se trocam por "coxos" os melhores jovens da Academia, (Diogo Viana - Postiga), (Tobias Figueiredo,direito de opção - Caicedo), (Iá e Cá - Jeffren). Só um clube enorme aguentaria o que se tem feito ao SCP nos últimos anos!

6 comentários:

Anónimo disse...

Onde está o Diogo Viana?

O Tobias Figueiredo não é jogador do Sporting?

O negócio de Jeffren por Ié e Cá (alguma vez os viste jogar?) foi mau ou ainda e cedo para saber?

Quanto à história das comissões é mais uma calúnia sem qualquer tentativa de prova. Olha para os relatórios e contas dos clubes de diz-me se o Sporting paga mais do que os outros.

PTM

Anónimo disse...

Não concordo.
Nenhuma geração de juniores deu mais de 4 jogadores à equipa principal. E muitas gerações dão zero.
As maiores ‘estrelas’ da academia de que falas (João Carlos incluido) não estavam no top 4 da passada equipa de juniores e renderam bom dinheiro aos nossos cofres. No passado sempre perdemos dinheiro a pagar salários a estes moços até aos 22 anos, de empréstimo em empréstimo. Hoje vendemos por alguns milhões, o que na verdade PAGA a academia. É um modelo de negócio com o qual concordo. Manter debaixo de olho os melhores 3 talentos de uma geração e vender o resto por atacado.
Bom exemplo o que dás como ‘estrela’ – o Diogo Viana. 22 anos, Penafiel. Hoje o Sporting vende Diogo Vianas por 1 milhão.
O modelo de negócio ainda está a ser refinado – o Cá e o Ié são bons exemplos disso. Saber gerir as opções de recompra não vai ser fácil de implementar, mas para já a academia está a dar os frutos para foi criada: 1 estrela a cada 3 anos, jogadores a baixo custo para o plantel principal do Sporting, a titulares ou suplentes e a vender elementos por (poucos) milhões que pagam o funcionamento da academia.
Duas considerações finais:
Criticar as nossas compras a custo zero + comissões de Pranjic, Gelson F., Labyad, Boularouz, é de bradar aos céus;
Comparar um jogador que fez parte do plantel do dream team do Barcelona, está avaliado em 4 milhões de EUR, jogou a Champions League e apesar dos (muitos) problemas físicos é capaz de ser dos melhores extremos do campeonato nacional com 2 projectos de jogadores não faz sentido. O Jeffrén é um jogador com créditos provados cujos problemas físicos impedem de ter a carreira de um craque. O Cá e o Ié são uma incógnita e vão tentar ser os PRIMEIROS de sempre a sair prematuramente de Portugal e ter sucesso (todos os outros FALHARAM).
Saudações Leoninas

Anónimo disse...

Todos os bons jogadores da nossa formação que saíram prematuramente do Clube, essencialmente para o estrangeiro, falharam! Seria bom, que eles e os seus progenitores, pensassem nisso! S.L.

joaquim agostinho disse...

1º Anónimo
È óbvio que o Diogo Viana ao sair do Sporting corria o sério risco de se perder, pois não existe outro grande clube que dê tantas oportunidades aos jovens.O FC Porto sabia bem quem ele era porque o seu treinador, desse escalão, era também o selecionador nacional.
Na vinda do Caicedo o Man City ficou com o direito de opção do Tobias Figueiredo, ou é mentira?
Não me apetece escrever mais sobre o Jeffren, tenho pena dele e de quem gasta dinheiro com ele.
Mandares uma pessoa ir ao relatório de contas ver o dinheiro realmente envolvido nas transferencias é uma anedota
2º Anónimo
"Hoje vendemos por alguns milhões, o que na verdade PAGA a academia"
Foi azar não termos comprado o Jeffren por 20 milhoes. Já viste o negocio que não seria agora com Ié e o Cá?
Já vimos quanto nos custou os negócios " a custo zero". Começa por analizar o do João Pinto.
3.º Anónimo
O Sporting é o clube que dá melhores condições na transição de juniores para o plantel principal que é a fase crítica. Quando algum sai sinto pena dele porque o mais certo é ficar pelo caminho.
Por exemplo, se o Andre Martins fosse de outro clube não tinha a mínima hipótese.

joaquim agostinho disse...

Comentario de Carlos Severino no Facebook (14/8/12)


ANDRÉ SANTOS NA SELECÇÃO

Os actuais dirigentes do Sporting resolveram emprestar André Santos e foram buscar uns quantos jogadores, gastando 8 milhões em transferências e mais 3milhões em prémios de assinatura no chamado custo zero que são acrescentados aos mais de 39 milhões gastos na época passada! Para quem está de tanga, sem dúvida que deve ser de ouro! E essa de emprestar um jogador de selecção, como o André Santos, não se percebe!? Eduardo Barroso tem razão quando pede explicações sobre a gestão de activos, para ver se a gente percebe, não é verdade? Eu percebo, há muito, mas quem gere são os mesmos há longo tempo, e sempre da mesma forma! Não é estranho? O Sporting é mesmo um Grande Clube. Só um Grande resiste a uma gestão feita em nome... do Sistema!

Mariana disse...

Comprar caro e vender barato não é negocio para ninguém. As vezes não entendo como se podem tomar essas decisões.
O que eu conheço do comercio é que se compram oculos de sol por um preço, e depois agregam um certo valor para os clientes.